top of page
  • Foto do escritorEngD

Estudo indica que Brasil precisa formar mais engenheiros

Atualizado: 3 de jul.



Um artigo publicado em 24 de junho no site do Instituto Questão de Ciência (IQC) destaca a importância da estimular a formação de profissionais de Engenharia. De autoria do engenheiro e pesquisador Franklin Weise, o estudo defende que “a disponibilização de mais engenheiros é considerada condição necessária para (e que antecede) o desenvolvimento econômico do Brasil”.

 

O autor se apoia em dados contundentes sobre a crise das faculdades de Engenharia. Um exemplo: “A taxa de titulação (concluintes/ingressantes considerando uma defasagem de cinco anos) mudou de 55% em meados da década passada para 39% nas faculdades públicas e apenas 28% nas particulares em anos recentes”. Conforme o artigo, “esta queda se deve tanto a uma piora na evasão quanto pela retenção”.

 

Com base nesses apontamentos, Franklin Weise chega a oito conclusões:

 

  • Temos um contingente muito maior de engenheiros no mercado de trabalho que no começo da década passada;

  • O contingente, em números absolutos, é mais do que suficiente para atender as necessidades da indústria;

  • No entanto, a maior parte dele é de profissionais graduados em instituições de ensino mal avaliadas – e, cada vez, mais, na modalidade EAD;

  • A parcela de engenheiros trabalhando em atividades não-típicas da engenharia vem aumentando;

  • A procura pelos cursos vem diminuindo – mesmo em faculdades públicas;

  • A engenharia civil foi a que mais cresceu e a que mais caiu em número de concluintes na década passada;

  • Há grande demanda por engenheiros no setor de serviços, com atrativos possivelmente maiores que nas indústrias de transformação e de construção;

  • Tanto a indústria de transformação quanto a de construção tiveram queda na respectiva participação no PIB.

 

Clique aqui para ler a íntegra do artigo.

 


47 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page