top of page

Intelectuais progressistas criam Fórum Permanente de Diálogo e lançam Carta a Lula

Mais de 600 professores, pesquisadores, escritores, artistas de todo o País participaram, dia 21/09, do Encontro da Intelectualidade Orgânica Progressista com Lula, que estabeleceu o Fórum Permanente de Diálogo e lançou a Carta aberta a Lula. O Encontro foi organizado pelo Fórum 21, formado por coletivos, movimentos, organizações e entidades progressistas.


Durante o Encontro, por solicitação do Carlos Tibúrcio, da Comissão Facilitadora, o coordenador-geral da EngD, Paulo Massoca, fez breve apresentação das entidades e movimentos que organizaram o encontro.


A Engenharia pela Democracia esteve presente com 15 diretores, membros do Conselho Diretor e Fiscal. Os membros da EngD participaram ativamente da organização da atividade e da redação da Carta, que assim como na Carta de Compromissos da EngD, contém as diretrizes de governo com uma agenda de unidade, composta dos temas Estado e Democracia; Direitos Humanos e Defesa das Minorias; Políticas Públicas; Reformas; Meio Ambiente; e Políticas Internacionais.


Os engenheiros Allen Habert, Amaury Monteiro e José Manoel integraram a Comissão de Redação da Carta, submetida a cinco plenárias. “Participamos com ideias, críticas, sugestões e apoio nos momentos críticos. Atuamos com firmeza e unidade”, ele informa.


Fórum – Já as tarefas do Fórum Permanente, segundo Amaury, ultrapassam o processo eleitoral. No que tange a motivação para sua criação, ele explica, que decorre da leitura de que as eleições de 2022 ocorrerão em um quadro de dramática complexidade, riscos democráticos, ofensivas do bolsonarismo, uso de algoritmos para difundir mentiras e pós-verdades, além de violência política.


"O Fórum Permanente de Diálogo compreende que, na conjuntura atual, para derrotar Bolsonaro, o campo progressista terá que se constituir como uma frente permanente de unidade de ação, balizada por pontos programáticos que permitam superar o sistema de acumulação neoliberal de bases autocráticas que vem provocando catástrofes humanitárias no Brasil e no mundo. Sem força social, ideias originais, diagnósticos rigorosos, planejamento e firmeza, nenhuma vontade nacional coletiva pode ter pretensão hegemônica. A constituição do Fórum Permanente de Diálogo responde a necessidades prementes”,


Amaury finaliza: “Todos saíram do evento com a certeza de que temos muitos caminhos a trilhar, mas estamos na luta. A Engenharia pela Democracia, como sempre, esteve presente em peso formando uma das maiores bancadas”.


46 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page