top of page

Matzevá lembra um ano da morte de Sérgio Storch




A EngD esteve presente em cerimônia marcou um ano da morte do engenheiro Sérgio Storch, domingo, dia 10 de julho. O matzeva (lápide judaica) foi colocada simbolizando um compromisso dos familiares, amigos e companheiros de serem continuadores das lutas e ideais do Sérgio, que completaria 72 anos na data.


Vítima da Covid-19, Sérgio deixou familiares e amigos saudosos que compareceram ao Cemitério Israelita do Butantã para prestar sua homenagem. Seu pai, Vitor Storch, de 104 anos não pôde comparecer.


Quem conduziu a cerimônia religiosa foi Henrique Friedmann que explicou aspectos da lápide e dos seus significados. Coordenador-geral da EngD, Paulo Massoca fez uso da palavra, fazendo uma alusão a Sérgio como construtor de pontes em sua vida. “Unindo pessoas, ideias e ideais. São "obras de arte" ressaltou. Também estiveram presentes o secretário-geral Maurício Habert e o coordenador do Fórum Nacional da EngD, Allen Habert.


Também estiveram presentes o secretário-geral Maurício Habert e o coordenador do Fórum Nacional da EngD, Allen Habert.


Quem era Sérgio


Formado em engenharia mecânica de produção pela Escola Politécnica da USP, fez mestrado em administração no Instituto Massachussetts de Tecnologia (MIT).


A grande marca da vida de Sergio Storch foi a dedicação à defesa dos direitos humanos, da paz, justiça e da promoção do diálogo inter-religioso, além do dom para unir as pessoas em prol de causas sociais.


Storch representou a tradição judaica de humanismo no país, estava engajado em causas progressistas, foi fundador da rede Judeus Brasileiros Progressistas e da Frente Inter-Religiosa Dom Paulo Evaristo Arns por Justiça e Paz.


Confira abaixo as fotos da cerimônia. Crédito: Sérgio Gomes.






39 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page