top of page

Vice-coordenadora da EngD, Cládice Diniz é homenageada na Alerj


A vice-coordenadora da Engenharia pela Democracia (EngD), Cládice Diniz, foi homenageada segunda-feira (27), em sessão solene na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). A engenheira naval foi agraciada com o 20º Diploma Mulher Cidadã Leolinda Daltro.


A cerimônia promovida pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher homenageou dez mulheres que protagonizam a luta pelos direitos femininos.


A premiação leva o nome de Leolinda Figueiredo Daltro, uma das pioneiras na luta pelos direitos das mulheres no Brasil. Nascida na Bahia, em 14 de julho de 1859, Leolinda foi professora, indigenista e lutou pela autonomia das mulheres. Em 1917, liderou uma passeata exigindo a extensão do direito ao voto às mulheres.


“Essa homenagem faz justiça àquelas mulheres que se comprometem com a vida de outras mulheres. Reconhecer o trabalho dessas homenageadas é uma honra e uma responsabilidade, além de também representar o nosso compromisso com a defesa intransigente dos nossos direitos”, afirmou a presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Alerj, a deputada estadual Renata Souza (Psol).


Trajetória em prol das mulheres na Engenharia


Engenheira Naval, Cládice é vice-coordenadora do movimento Engenharia pela Democracia e realiza trabalho voluntário no Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura. Ela também é membro dos Conselhos Consultivo da Ong Engenheiros Sem Fronteiras e da Confederação Nacional dos Trabalhadores Universitários.


Cládice foi indicada por sua contribuição ao Conselho Estadual dos Direitos da Mulher/RJ (Cedim-RJ) na área de projetos. A engenheira também atuou no CREA-RJ e no Sindicato dos Engenheiros do RJ. “Estou na defesa da equidade das mulheres que atuam na engenharia desde 1980, quando passei a integrar a diretoria do Sindicato, na primeira eleição realizada democraticamente”, informa ela.


Sempre defendendo os direitos da mulher, nos dois últimos mandatos do CREA, Cládice foi coordenadora do Comitê Pró-Equidade de Gênero e Raça, substituído pelo Programa Mulher, onde foi coordenadora.


Atuou no projeto naval e na área industrial, indo para o ensino superior, onde integrou e dirigiu a Escola de Engenharia de Produção da UNIRIO, desenvolvendo o projeto Engenheiras do Futuro, que incentiva meninas do Ensino Fundamental de escolas municipais a considerarem seguir carreiras nas áreas tecnológicas.


“A iniciativa foi bem recebida. Inclusive no ano passado o Cedim-RJ contratou uma engenheira civil e duas estudantes de engenharia para executar o projeto, realizando oficinas em escolas públicas e elaborando uma cartilha, a Caderneta de Campo da Engenheira do Futuro, que encanta as meninas”, conta ela.


Assista!




163 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page