top of page

AGENDA | Evento homenageia José Eduardo Vieira Raduan

Atualizado: 5 de jun.



O movimento Engenharia pela Democracia (EngD), a Assipt (Associação dos Trabalhadores do IPT) e o Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo (Seesp) convidam para a sessão do filme Raduan: Memórias da Construção de Nossa Democracia. O evento ocorre em 14 de junho, às 19 horas, no auditório do sindicato (Rua Genebra, 25, no Centro de São Paulo.

 

Após a exibição, os presidentes das entidades organizadoras – Paulo Massoca (EngD), Ros Mari Zenha (Assipt) e Murilo Pinheiro – promovem um debate com parlamentares e lideranças da sociedade civil. O deputado federal Carlos Zarattini (PT-SP), o deputado estadual Antonio Donato (PT-SP) e os vereadores paulistanos Toninho Vespoli (PSOL) e Eliseu Gabriel (PSB) participam do debate.

 

Raduan: Memórias da Construção de Nossa Democracia é uma homenagem póstuma ao engenheiro José Eduardo Vieira Raduan (1953-1987), ex-presidente do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária). Ele morreu de modo precoce, aos 34 anos, num acidente aéreo no Pará. O avião em que viajava explodiu logo após decolar do Aeroporto de Carajás. O então ministro da Reforma Agrária, Marcos Freire, também morreu na tragédia.

 

Segundo Ivan Maglio, membro do Conselho Deliberativo da EngD, Raduan era ameaçado de morte, o que deixa suspeitas sobre o acidente aéreo. “A explosão da aeronave da FAB em pleno voo e a morte de ambos, vorazes críticos da ditadura de 1964, ainda hoje não foi totalmente esclarecida. O laudo das causas do acidente foi muito questionado”, registra Maglio.

 

Formado em 1975 pela Escola de Engenharia de São Carlos da USP (Universidade de São Paulo), Raduan presidiu o Centro Acadêmico Armando de Salles Oliveira (Caaso). De acordo com Maglio, “um dos feitos mais importantes do Caaso nessa época foi a edição e encaminhamento para o exterior do livro Tortura Nunca Mais na gráfica do centro acadêmico. Dessa forma, o movimento estudantil passava da luta específica para a luta política contra a ditadura”.

 

Como engenheiro, Raduan trabalhou no IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), onde foi presidente da Assipt. Após fazer especialização nos Estados Unidos, assumiu cargos públicos no Brasil. Quando Franco Montoro (PMDB) venceu, ainda sob a ditadura, as eleições para o governo de São Paulo, o jovem engenheiro foi nomeado superintendente do Desenvolvimento do Litoral Paulista, liderando a equipe da Sudelpa.

 

Nesse período, ele participou ativamente das manifestações pelas Diretas-Já. Com a redemocratização, o presidente José Sarney (PMDB) criou o Ministério da Reforma Agrária e indicou o senador Marcos Freire como seu ministro. Raduan assumiu o Incra, comprometendo-se com a luta pela democratização da terra no Brasil.

 

A morte em pleno ar interrompeu sua trajetória a serviço da engenharia, da democracia e do desenvolvimento nacional. Em sua homenagem, uma escola estadual na cidade de Ferraz de Vasconcelos (SP) recebeu o nome de Doutor José Eduardo Vieira Raduan.

167 visualizações

Comments


bottom of page