top of page

MEIO AMBIENTE, CIÊNCIAS, TECNOLOGIAS, ENGENHARIAS E ÁREAS AFINS

Atualizado: 23 de mai. de 2023


Fato irrefutável: Desde que a vida surgiu na terra, há 4 bilhões de anos, o ser vivo tem dependido do meio ambiente para a sua sobrevivência e tem explorado os recursos naturais.


A visão ideológica de Proteção do Meio Ambiente é conhecida e praticada há muito tempo. Ela se faz no âmbito dos subsistemas biótico (Fauna e Flora) e físico (Clima, ar, água, solo, recursos naturais). Há dois posicionamentos antagônicos: Uns preconizam que esses recursos devam ser preservados a qualquer custo; outros dizem que o ser vivo sempre dependeu deles e que assim deve continuar explorando-os livremente.


Essa visão ideológica não inclui o terceiro susbsistema na análise, o antrópico, ser humano e suas relações em sociedade e que provoca a demanda, de forma ampliada, de matérias primas, insumos, alimentos, emprego, renda, desenvolvimento, tudo indispensável para a vida individual e coletiva. Ao incluir esse terceiro subsistema, a visão se amplia e se complica. Se explorar ao máximo a natureza, como ficará o futuro? Se preservar ao extremo, como resolver as necessidades de sobrevivência atuais?


Como resolver? No passado, uma solução complicada: Tentativa e erro. Explora-se o que se necessita e corrigem-se os desvios e exageros. Resultado: A extinção contínua de espécies e degradação das condições ambientais.


Como resolver a partir dos nossos tempos? É aqui que entra a Ciência (Como unidade de conhecimento na sua amplitude cabal - exatas, humanas e ambientais), a tecnologia (Técnicas, processos, métodos, meios e instrumentos) e as Engenharias e áreas afins (Aplicação da ciência e tecnologia na utilização dos recursos da natureza). Esses conjuntos de saberes têm demonstrado que é possível encontrar formas de usufruir dos recursos naturais para, em cada situação, encontrar a melhor conciliação entre os subsistemas físico, biótico e antrópico. Trata-se de um encontro, no ponto adequado, das visões ideológica e realista, sem afrontar a preservação do meio ambiente. Esse modus operandi está sendo aplicado integralmente? Não, há desvios, mas, eles devem ser tratados como tal, desvios, e não como falha conceitual.


Nesse sentido, sair defendendo, previamente, uma posição ideológica, é negar o valor da Ciência, Tecnologia, Engenharias e áreas afins como modelo de solução. Quando os nossos ignaros adversários negam o valor desse cabedal de conhecimento, chamamo-los de negacionistas; no irritamento extremo, de terraplanistas.


São Paulo, 22.05.2023

[Se julgar pertinente, faça seus comentários e compartilhe]



333 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

コメント


bottom of page