top of page

NOTA | Não a Erasmo Dias, não à tortura!


A EngD (Engenharia pela Democracia) repudia veementemente a homenagem do governo Tarcísio de Freitas ao coronel Erasmo Dias, uma das figuras mais notórias e deploráveis da ditadura militar brasileira (1964-1985). No período em que esteve à frente da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Erasmo representou a face cruel e doentia do regime, com defesa aberta da tortura e de outros ataques aos direitos humanos.


A forma torpe como o coronel reprimiu com cassetetes e bombas um encontro se estudantes na PUC-SP, em 1977, evidenciou o espírito de medo que a ditadura tentava impor ao povo brasileiro. Duas estudantes chegaram a ficar hospitalizadas por mais


de um mês em decorrência dos ataques e tiveram sequelas pelo restante da vida.


Além de agente do terror, Erasmo Dias foi um de seus mais entusiasmados propagandistas. Mesmo após o fim da ditadura, defendeu o legado dos governos autoritários


e a perseguição à margem da lei de ativistas e militantes. Como deputado e vereador, atuou na contramão do Brasil redemocratizado.


Ao sancionar uma lei que o homenageia, o governador bolsonarista flerta com esse período sombrio da nossa história e aponta para os rumos que quer dar à sua gestão. Blindar a tortura e seus agentes é uma afronta à democracia.


Não à homenagem a Erasmo Dias. Não à tortura! Pela revogação imediata desta lei que fere o Estado


Democrático de Direito consagrado na Constituição Federal!


São Paulo, 30 de junho de 2023


EngD (Engenharia pela Democracia)


95 visualizações

Comments


bottom of page